quinta-feira, 23 de novembro de 2023

Quase 5 mil medidas protetivas e 20 mil inquéritos: Polícia Civil vai às ruas com ações de combate à violência contra mulher na BA

Foto ilustrativa: Kelly Hosana | SSP-BA

A Polícia Civil da Bahia, em parceria com o Conselho Nacional de Justiça, promove, durante os próximos dias, uma campanha de conscientização do combate à violência contra a mulher em todo estado. As ações vão até o dia 12 de dezembro. Somente nesta semana, dois casos de feminicídio foram registrados em Salvador, o que mostra a necessidade de ações contra o problema.

De acordo com a Delegada-Geral da PC baiana, Heloísa Brito, a necessidade combater os altos índices desse tipo de violência determinaram a realização da campanha que terá diversas frentes. Em 2023, mais de 20 mil inquéritos foram instaurados por conta de violência contra mulher na Bahia.

“Vamos fazer um mutirão de atendimento nas unidades para agilizar as oitivas e o próprio andamento dos inquéritos, e também uma ação de cumprimento dos mandados que já foram expedidos”, disse.

A Delegada-Geral destacou que houve uma diminuição do número de feminicídios com relação ao ano anterior, mas ainda assim apontou que os números atuais são altos.

“Só esse ano, a Polícia Civil já pediu mais de 4.800 medidas protetivas, foram mais de 21 mil inquéritos instaurados de violência contra a mulher, ou seja, isso nos leva a essa consciência de que precisamos levar essa situação para toda a sociedade, mudando padrões de comportamento, para que juntos possamos vencer e acabar com essa violência”, defendeu Heloísa Brito.

Violência contra mulher em números

Estupro: - 21,37%

Estupro de vulnerável: - 18,1%

Lesão corporal: - 4,7%

Importunação sexual: + 5,8%

Feminicídios: -7,5% Entre 1º de janeiro e 19 de novembro em comparação a 2022

A programação da Polícia Civil baiana prevê ainda outras ações efetivas, como palestras e rodas de conversas em diversos e variados ambientes, como presídios, assentamentos rurais, aldeias indígenas e estádios de futebol, no dia 29, na partida entre Bahia e São Paulo, na Fonte Nova.

No domingo (26), uma caminhada do Farol da Barra ao Clube Espanhol, na orla de Salvador, também vai chamar atenção para as ações.

A Bahia tem 15 Delegacias Especiais de Atendimento à Mulher (Deams) e sete Núcleos Especializados de Atendimento à Mulher (Neams). Além da Neam Itinerante, que é um ônibus que percorre as cidades onde não existe a estrutura do núcleo.

A líder da Polícia Civil baiana ressalta ainda a importância da denúncia em casos de violência contra a mulher. “A denúncia é a grande saída. Tem que meter a colher sim, tem que denunciar. Liga através de 190, de 181, não precisa se identificar, é sigiloso, mas são medidas que podem, inclusive, estar salvando vidas”, afirma.

5 comentários:

  1. Essa Deam é uma vergonha. Minha cliente prestou queixa e, o acusado só vai ser ouvido em 2025. Fui ver o andamento do Inquérito para ver se o mesmo foi intimado. Os investigadores disserem que ele foi intimado e ele nem se quiser pisou os pés na Deam e, olhando o insta do mesmo, estava foi curtindo na Praia na data em questão. Que Polícia Civil ou que Delegada é essa? Agora se fosse um caso de repercussão na mídia ou se fosse mexer com um Policial deles, aí sim na hora eles tinha cassado. E olhe que o agressor tem passagem pela Polícia e teve um Processo Extinto recentemente de outra agressão com outra pessoa onde o Estado nem se quer julgou e houve a prescrição. Ou seja, o melhor mesmo a fazer é Justiça com as próprias mãos.

    ResponderExcluir
  2. CONCORDO PLENAMENTE COM SEU COMENTÁRIO. MINHA ESPOSA FOI AMEAÇA, O VAGABUNDO DO PARENTE DELA FOI NA NOSSA PORTA ARMADO, LIGAMOS PARA A POLÍCIA, EXPLICAMOS SOBRE A QUEIXA E ATÉ HOJE ESPERAMOS A VIATURA E A DEAM FAZER ALGO. A QUEIXA NÃO DÁ EM NADA... É POR ISSO QUE TANTAS MULHERES MORREM. O QUE TRANSPARECE E QUE A DEAM NÃO ACREDITA NAS AMEAÇAS QUE AS PROPRIAS MULHERES SOFREM...E ATÉ AGORA NADA NADA FOI FEITO. ELA VOLTOU NA DEAM E AINDA QUERIAM COLOCÁ-LA COMO ERRADA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Orientei ela a matar o acusado ou até mesmo o esposo dela ir matar o cara, já que ela corre risco de vida. Depois entro com Defesa de Legítima Defesa. Já que a Polícia e a Justiça só trabalha com casos de Repercussão na Mídia ou Homicídio, então aguardem os próximos capítulos!

      Excluir
  3. Tem um monte de mulher que está se aproveitando da Maria da Penha conheço uma camarada que foi preso sem trisca a mão na mulher e ela anda difamando ele por isso que está matando ela tem que muda isso ser mais investigado botando pai de família e trabalhador de trás das grandes tem muitas que merece toma pal e morrer mesmo

    ResponderExcluir