segunda-feira, 18 de dezembro de 2023

Briga por dívida de R$ 100.00 para comprar droga motivou morte de dentista em Salvador

O homem preso suspeito de matar o dentista Lucas Maia de Oliveira, de 36 anos, no prédio de luxo Celebration Garibaldi, no bairro do Rio Vermelho, em Salvador, disse em interrogatório para a polícia que tinha uma relação de amizade com a vítima, mas os dois brigaram por causa de uma dívida por drogas no valor de R$ 100.

Identificado como Patrick Pereira Pinho, de 22 anos, o suspeito foi encontrado na manhã desta segunda-feira (18), na casa em que morava com a namorada, no bairro do Engenho Velho da Federação. Ele estava escondido embaixo de uma pia, enrolado em um cobertor.

Patrick Pereira pediu para a companheira falar que ele não estava no imóvel. A mulher foi ouvida pela polícia e disse que o namorado confessou ter matado o dentista. Ele confessou o crime para ela após a companheira reconhecer a tatuagem dele em uma reportagem na televisão.

O suspeito contou para a polícia que conheceu o dentista cerca de um mês antes do crime em uma praça, na Avenida Garibaldi. Ele negou que os dois tenham tido qualquer envolvimento amoroso e sexual.

De acordo com as delegadas Zaira Pimentel e Pilly Dantas, os dois discutiram por causa da dívida e entraram em luta corporal. Lucas Maia teria pedido para Patrick Pereira comprar drogas e depois não pagou o valor que o suspeito gastou.

Patrick disse que achou que o dentista estava desmaiado. Decidiu então amarrar os pés da vítima e roubar uma televisão, o notebook, um relógio, uma mala com roupas e o carro.

Patrick Pereira Pinho disse para a polícia que agiu sozinho. As investigações não apontaram a participação de outras pessoas no crime. O suspeito informou ainda que vendeu a televisão de Lucas Maia em uma plataforma online, além do notebook e um relógio em uma feira. O celular e as roupas do dentista teriam sido descartados.

Apesar de o suspeito ter dito que vendeu a televisão, a Polícia Civil encontrou uma semelhante na casa dele e apreendeu o aparelho para a realização de perícia, que será realizada no Departamento de Polícia Técnica (DPT).

De acordo com a Polícia Civil, a identificação e localização do suspeito aconteceram após a análise de imagens de câmeras de segurança e depoimentos de testemunhas, amigos e familiares. A tatuagem que ele tem em um dos braços ajudou nas investigações.

7 comentários:

  1. MUITO COMPLICADO ESSA SITUAÇÃO.
    NÃO SE PODE FALAR A VERDADE EM COMENTÁRIOS

    ResponderExcluir
  2. So um idiota acredita, fabricou essa versão para fugir de ser enquadrado como latrocínio. Uma simplis briga porque de dinheiro abre margem para uma legítima defesa

    ResponderExcluir
  3. Pelo o jeito o cara também na escolhia com quem se relacionar.

    ResponderExcluir
  4. Verdade, infelizmente, sem julgamento, o que uma pessoa dessa tem pra uma pessoa do nível do dentista, sem ser homofóbico, mais a homossexualidade masculina só se envolve com tipo assim.

    ResponderExcluir
  5. História da carochinha, sem querer julgar esse cara tinha envolvimento amoroso olha só o tipo !

    ResponderExcluir
  6. Muito mim admiro é que o cara mora em prédio de luxo, e pede para um pé rapado pagar a droga e ele não repassar o dinheiro da maldita e pior 200 reais. Porrada nesse vagabundo, que ele fala a verdade.

    ResponderExcluir