quarta-feira, 8 de janeiro de 2020

Hospital de Base anuncia contratação de médico infectologista

Ao fazer um balanço das ações implementadas no Hospital de Base Luiz Eduardo Magalhães (Hblem) nos últimos quatro meses, o presidente da Fundação de Atenção a Saúde de Itabuna (Fasi), Juvenal Maynart, anunciou a contratação do médico infectologista Fernando Romero, como parte do Plano de Contingência para um eventual risco de surto de dengue e de outras endemias.

“Estamos nos preparando para um eventual risco de dengue, zica e chikungunya. Já me reunir inclusive com o Secretário de Saúde Uildson Nascimento, para que possamos dar todo suporte tanto no Hospital de Base como nos Postos de Saúde. Esse sistema vai funcionar de forma conjunta entre Secretaria e Hospital de Base, para não corrermos o risco de uma endemia sem o prévio preparo para o tratamento das pessoas”.

Ele aproveitou para frisar que a gestão do prefeito Fernando Gomes tem dado as condições necessárias para a implementação dessa e de outras ações nestes quatro meses em que está à frente da FASI, como por exemplo, para implantação do raio-x digital, melhoria da estrutura física do hospital, preparação de novos leitos de retaguarda, compra de novas poltronas para acolhimento dos acompanhantes, além de compra de poltronas para o PS, e a tentativa contínua de melhoria da humanização e atendimento dos pacientes.

“É bom deixar bem claro que estamos conseguindo avançar porque o prefeito Fernando Gomes tem dado autonomia, mas com o acompanhamento contínuo das ações e avaliação dos resultados”, frisou Juvenal Maynart, lembrando que ele tem como marca o compromisso e a responsabilidade. “Não fazemos tudo porque nem tudo podemos fazer, mas como servidores públicos temos por obrigação o tratamento com qualidade e atenção para o cidadão.

3 comentários:

  1. Estamos precisando de angiologista.Pois somente um atende pelo SUS na cidade,absurdo! As pessoas precisando fazer cirurgia e aguardando 1 ano p ser atendida por um angiologista.

    ResponderExcluir
  2. Não acredito nisso.O médico pd até sido contratado, mas não encontrará condições pra manter esse programa! Custa caro e duvido que essa gestão irá manter a palavra.O básico falta no hospital de Base.Não tem uma recepção pra receber doentes graves, ficam literalmente jogados em uma sala sem recurso, só furando o paciente e sem cuidados após os exames.Muitos vai à óbito! É desumano as condições! Infectologia e Medicina preventiva requer pessoal treinado, antibióticos de primeira geração, comissão de infecção hospital atuante!Isso é muito caro! Deus ajude que vá adiante!

    ResponderExcluir
  3. Estamos precisando de muitas coisas principalmente respeito aos funcionários quando o assunto é direitos, respeito aos pacientes que chegam e ficam em macas do Samu,ou não tem especialistas que realmente importam a população. Coordenadores mais humanizados e fora a corrupção. O hospital é um patrimônio do povo e precisa dar respeito e ser mais ético.

    ResponderExcluir