quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

Compositor move processo na Justiça contra Gusttavo Lima e pede indenização de R$ 20 milhões

O compositor André Luiz Gonçalves da Silva, conhecido como De Luca, move um processo na Justiça contra o cantor Gusttavo Lima. Ele cobra uma indenização de R$ 20 milhões por danos morais, alegando que é o único autor da música "Fora do Comum" - que estourou na voz de Gusttavo em 2011 - e que não recebeu os direitos autorais da mesma. A defesa do artista nega as acusações.

O processo tramita na 30ª Vara Cível de Goiânia. Em junho do ano passado, o juiz William Costa Mello deu sentença favorável ao cantor justificando que ocorrera prescrição, ou seja, o prazo para entrar com a ação já havia vencido. No entanto, os representantes de De Lucca recorreram ao Tribunal de Justiça de Goiás e aguardam julgamento.

Segundo Cláudio Bessas, advogado de Gusttavo, as alegações feitas pelo compositor não têm fundamento. O defensor diz que eles escreveram a música em conjunto e que De Lucca recebeu toda parte que lhe cabe, isto é, 50% de todo o rendimento proveniente dela.

"Essa melodia foi uma composição em conjunto tanto do Gusttavo quando do André de Lucca. São coautores no percentual de 50% para cada parte. Foi devidamente registrado. Passou-se um determinado período, o Gusttavo foi surpreendido. Ele [De Lucca] entrou na Justiça alegando que essa composição era exclusiva dele", afirmou ao G1.

Em novembro de 2019, houve uma audiência de conciliação. Segundo Bessas, foi oferecido "sem nenhum reconhecimento de culpa" o valor de R$ 50 mil divididos em dez vezes para encerramento do processo, uma vez que o compositor alegou estar passando por dificuldades financeiras.

De Lucca não aceitou e, com isso, o processo segue tramitando. O advogado dele, Adolfo Kennedy Marques Júnior, refutou a afirmação de que Gusttavo é coautor da canção e disse que seu cliente busca os direitos econômicos em torno dos 100% dos lucros provenientes dela.

"O autor exclusivo da música é o De Lucca. Gusttavo não compôs nenhum trecho, harmonia ou melodia da música. Ele recebeu 50% dos direitos da canção, mas reclama agora que tem direito aos outros 50% mais indenização pela mentira de que Gusttavo Lima é coautor da canção", afirma.

Prescrição
Em primeira instância, o juiz entendeu que De Lucca entrou com processo após o prazo legal. Ele cita que, em dezembro de 2010, o compositor começou a tratar com Gusttavo sobre a apresentação da canção. Em 31 de janeiro do ano seguinte, ele assinou um contrato de cessão de direitos autorais no qual estava "ciente que a melodia estava lhe rendendo 50% dos direitos autorais".

O magistrado destacou que, a partir daquela data, De Lucca tinha três anos para entrar com ação para cobrar eventual direito na Justiça, ou seja, até o dia 31 de janeiro de 2014, devido ao prazo prescricional. No entanto, só o fez em maio de 2016. Por isso, decidiu por extinguir o processo e dar ganho a Gusttavo Lima.

No entanto, a defesa do compositor apelou ao TJ-GO evocando jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de que o prazo de prescrição neste caso é de dez anos em vez de três.

17 comentários:

  1. Verdinho,tem como vocês precisavam investigar se empresa (SAF funerária de ilheus)...se é legal ter câmeras com gravação de áudio e vídeo de funcionários e clientes??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que pode seu burro. Se nao Todos os estabelecimentos, q maioria são monitorados na nossa cidade. Para se evitar algum tipo de ação criminosa de uma cidade extremamente violenta.

      Excluir
  2. É um APROVEITADOR MESMO!
    desde 2011 agora vem com essa história?
    20 milhões! Esse vagabundo quer se aparecer as custas do COMANDANTE.

    ResponderExcluir
  3. Essa Camila do CABRÁLIA no AR é caso perdido.
    Que apresentadora HORRÍVEL!
    Como dizer que a Av. Amélia Amado é uma LOCALIDADE? Senhora BURRA, dentro da cidade chama-se IMEDIAÇÕES.
    Afff, vai ser ruim assim na casa da porta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito burra mesmo

      Excluir
    2. Acho que é de Lohana Magnavita esse comentário acima... morrendo de inveja! Defensora de bandido! Bom para vc que o que mais tem em Itabuna é vagabundo para vc defender... e para não perder o costume... PARABÉNS AO POLICIAL!

      Excluir
    3. Eu acho boa !!! Kkkkkk

      Excluir
  4. ESSE CARA GOSTA DE CANTAR AS MUSICAS DOS OUTROS UMA EPOCA DESSA AI FOI A MUSICA DE PABLO DO ARROCHA O PABLO DEIXOU PRA LA SERAR QUE ESSE TAL DE GUSTAVO LIMA NAO SABE FAZER AS PROPIAS MUSICA...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Teve também um cantor português!!

      Excluir
    2. Inveja mata meu caro!
      Será se ele está cantando suas músicas?
      Kkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  5. Atualiza Verdinho, acabaram de achar o corpo de Valter Caldas na rua Inácio Tosta Filho

    ResponderExcluir
  6. Vc do comentário das 08:56hs!
    Antes de criticar alguém, primeiro faça uma correção no seu comentário!
    A apresentadora mesmo em ter equivocado fez uma confirmação e não uma pergunta como vc expôs em seu comentário!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A pergunta eu quem fiz animal!
      E deixa de jumentice ZÉ RUELA.
      EQUIVOCAR SEMPRE É BURRICE MESMO SEU FIDAROMBADA.

      Excluir
  7. Você do comentário 10:14,sou cliente saf a 6 anos e já me informei com meu advogado sobre isso,pelo visto o burro aqui é você....a lei não específica se é certo ou não, porém eu não dei autorização para ser gravado enquanto sou atendido.

    ResponderExcluir
  8. Da um fumo a esse cara cada uma

    ResponderExcluir
  9. Bem capaz ! Pois o mesmo tem histórico de fazer plágio e copiar músicas dos outros dizendo ser dele, como aconteceu com as músicas de Pablo e um cantor português ! E agora esse daí !

    ResponderExcluir
  10. Leandro, cantor português e dono de Que Mal Te Fiz Eu, lançou a música em 2008
    Depois de ser acusado de plágio pelo cantor baiano Pablo pela música Fui Fiel, Gusttavo Lima fez o mesmo com o cantor português Leandro. E agora esse André Luis

    ResponderExcluir