terça-feira, 14 de dezembro de 2021

Itabuna está entre as 12 cidades investigadas em operação da PF; crimes ocorreram em 2019

A Polícia Federal e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) deflagraram, nesta segunda-feira (13), com o apoio do Ministério Público Federal, a operação denominada Mercado Pacificado, com o objetivo de apurar crimes licitatórios e contra a ordem econômica, praticados por empresas atuantes no mercado de coleta, transporte, tratamento e destinação de resíduos, em sua maioria, hospitalares.

Ao todo, 75 policiais federais e 57 integrantes do CADE participaram do cumprimento de 15 mandados de busca e apreensão, no Distrito Federal e nas cidades de São Paulo/SP, Embu das Artes/SP, Suzano/SP, Itabuna/BA, Salvador/BA, Imperatriz/MA, São Luís/MA, Sousa/PB, Recife/PE, Duque de Caxias/RJ, Caxias do Sul/RS e Cachoeirinha/RS.

A investigação baseia-se em um Acordo de Leniência firmado no ano de 2019, cujos signatários apresentaram evidências de condutas anti competitivas. De acordo com o que foi apurado, eram estabelecidos acordos entre concorrentes para fixação de preços, condições e vantagens em licitações públicas e privadas, divisão de mercado e de clientes por meio de Acordos de Não-Agressão, supressão de propostas e apresentação de propostas de cobertura, troca de informações comerciais e concorrencialmente sensíveis entre empresas. Na prática, essas ações visavam a favorecer licitantes e frustrar o caráter competitivo das licitações. As informações são do blog O Trombone.

As empresas participantes do cartel agiam com a intenção de manter o mercado “pacificado”, evitando “guerras de preços”, de sorte que os envolvidos dividiam entre si clientes e licitações. Segundo análise realizada pelo CADE, foram afetados por essa atividade anti competitiva, ao menos, o Distrito Federal e os Estados da Bahia, Minas Gerais, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo. Há, ainda, indícios de que os Estados do Rio Grande do Norte e de Santa Catarina também foram afetados.

Os investigados poderão responder pelos crimes de associação criminosa e por outros crimes contra a ordem tributária; além de outros delitos que eventualmente forem constatados no curso da investigação.

22 comentários:

  1. Se todos e todas tivessem o dever, de dizer a origem da fonte do seu dinheiro muitas coisas seriam diferentes.
    E de quebra tivessem tirado sua foto no ato de qualquer transação comercial tudo séria diferente.
    Afinal, dizem os "honestas/as" que quem não deve não teme... 🤔🙄🤔

    ResponderExcluir
  2. Fernando Gomes, bote as barbas de molho, Sua hora. Chega

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que Fernando Gomes tem com isso seu doente? Rafael da TRR que ta no meio dessa maracutaia.

      Excluir
  3. Fernando Gomes,sabe como funciona a justiça.

    ResponderExcluir
  4. Não dá em nada a PF está dominada pela familicia evangelica.

    ResponderExcluir
  5. Eu vejo tantas investigações e no município de Barro preto ninguém nunca faz nada várias pessoas de bens perdendo a sua vida e ele não faz nada isso aí é tudo politicagem ficam atrás de IBOPE

    ResponderExcluir
  6. Aproveita e vai na FICC

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aldo sai preso... Se for na saude a Secretária sai presa, se for na administração sai mais uns presos tb. Kkkkkkkk

      Excluir
    2. kkkkkk,os presentes de natal estão chegando...

      Excluir
  7. A PF tá na mão do presidente evangelico bolsonaro ele que manda na PF os guarda costa de políticos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem baba ovo de politico não,o negocio agora é vê o povo bem!

      Excluir
  8. Ten que investigar as licitação das prefeituras. O Márcio negao da combi junto com kaike São dois que estão soltos

    ResponderExcluir
  9. Por não investigam Itapé tbm
    Nepotismo
    Fraude nas licitações
    O filho do prefeito é dono de transporte que
    Presta serviços para o município..
    Investiga quem é o verdadeiro dono da touro
    Que o prefeito anda...Itapé tem muita coisa
    errada...

    ResponderExcluir
  10. Nada fica encoberto! Espero que realmente essa investigação possa mostrar o tamanho da corrupção que em Itabuna se prolifera!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa operação é a ponta do iceberg quando partir para assistência social e saude vai faltar viatura. Kkkkkkk

      Excluir
    2. E TEM UMAS CHUPA MOLHO ALI QUE EU VOU TE CONTAR VIU BB!

      Excluir
  11. Investiga Alex da uni doce que é o maior sonegado de impostos da Bahia tinha uma gordinha que fazia tudo pra ele pra poca os nomes dos funcionários até que teve um que se matou por causa de tanta pressão a maioria é tudo de barro Preto os irmãos rsrs i cabeça e rildo Nascimento

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. FALE MAIS SOBRE,SOU TODOS OUVIDOS

      Excluir
    2. ALÔ,ALO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO,VOU CHEGAR JUNTO VIU

      E DIGO + VNG

      Excluir
  12. A matéria foi redigida de forma tendenciosa e em tital desconexão com a realidade dos fatos. Embora as ações da PF nesta operação vise os supostos empresários, a reportagem teria que citar os parceiros e principais agentes criminosos: os políticos. Ademais, se for realizadas investigações nos demais municípios, certamente a PF terá trabalho para um longo período. Basta que investigue os pequenos municípios onde os membros das famílias dos prefeitos estão todos estrategicamente inseridos nas secretarias e tesourarias, além de possuírem "empresas comerciais" diversas para a lavagem do butim surrupiado do erário municipal. O difícil ou, quase impossível, será descobrir um município onde tal esquema inexista. Se acaso descobrirem um santo, não peçam ao "stf" para "santificá-lo" oficialmente, iria parecer que o inocente é ladrão.

    ResponderExcluir