sábado, 3 de fevereiro de 2024

Empresária judia denuncia racismo religioso após ser chamada de "assassina de crianças" em Porto Seguro

Uma empresária judia, proprietária de um estabelecimento comercial, denuncia ter sido agredida e sofrido racismo religioso por uma mulher em Arraial D'Ajuda, distrito turístico de Porto Seguro, no extremo sul do estado. O caso aconteceu nesta sexta-feira (02).

Em imagens que circulam nas redes sociais é possível ver o momento em que a mulher, que parece não ser brasileira, grita com a proprietária da loja e é segurada por outro homem que está no local. Não há informações se ele estava com ela ou era cliente do estabelecimento.

“Sionista, assassina de crianças. Eu vou te pegar, maldita sionista”, disse a mulher, em referência ao sionismo, movimento político e ideológico que defende a autodeterminação do povo judeu e a criação de um Estado judeu na Terra de Israel.

Antes de ser retirada do estabelecimento comercial por outras pessoas, a mulher ainda derrubou diversos itens que estavam nas prateleiras. Herta Breslauer, dona da loja de produtos místicos, prestou um boletim de ocorrência contra a mulher. O caso é investigado pela Polícia Civil como racismo, ameaça, dano e lesão corporal.

"Ela entrou na loja gritando e por eu ser judia, me chamou de assassina de crianças. Olha só o que ela fez", afirmou a comerciante em vídeo, após a mulher ser retirada do local.

A Confederação Israelita do Brasil e Sociedade Israelita da Bahia emitiram uma nota de repúdio e pediram que o caso seja investigado como crime de ódio.

Confira, na íntegra, nota, abaixo, clicando em Read More.

Nota de repúdio da Confederação Israelita do Brasil e Sociedade Israelita da Bahia

"A Conib e a Sociedade Israelita da Bahia denunciam uma repugnante agressão contra um comerciante judia em Arraial da Ajuda, na Bahia, pelo simples fato de ela ser judia. Uma agressão covarde, antissemita, que deve ser investigada como crime de ódio e seguir o seu devido processo legal. A Conib vem pedindo moderação e equilíbrio às nossas lideranças para não importarmos o trágico conflito em curso no Oriente Médio.

O antissemitismo deve ser condenado por todos, e sua explosão nos últimos meses aqui no Brasil e no mundo é consequência de visões odiosas e distorcidas sobre Israel e judeus manifestados por personalidades e distribuídas pelas redes sociais. Isso precisa acabar para evitarmos consequências ainda mais graves".

19 comentários:

  1. O agressor é da facção do Hamas é a mesma do facção terrorista 13 da Bahia e do Brasil.

    Essa desgraça presidiário após ser tirado da cadeia o Brasil vive o 5º do, terra de desgraças, fome, morte, miséria e o inferno.

    A TV Lixo, o presidiário, enfim, o que reina no Brasil é apologia ao crime, quem agrediu essa mulher de Israel é o mesmo do nazismo, fascismo essa raça desgraça deu golpe no Brasil e todo mundo "toma no cu todo dia", Ivete Sangalo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desde a criação do estado de Israel em 1948, que o povo da Palestina vem sofrendo.

      A ONU, há tempos, da mesma forma que fez com o povo judeu, deveria criar o estado da Palestina.

      O HAMAS é um movimento de resistência.

      Liberdade para o povo da Palestina !

      Excluir
    2. Se informe antes de escrever depois escreve
      Hamas é um grupo terrorista que oprime o povo palestino
      O povo palestino é um povo mole fácil de ser manipulados

      Excluir
    3. Quem carece de informação é você.

      O HAMAS É UM MOVIMENTO DE RESISTÊNCIA ÀS ATROCIDADES COMETIDAS PELOS JUDEUS.

      A IGNORÂNCIA É UMA BENÇÃO.

      Excluir
    4. Poxa, tava tão bom! mas parece que o Fi di Mutuns parou de tomar a medicação. De novo! Rapaz, volte ao tratamento.

      Excluir
    5. Mente fértil de filho de mutuns pra escrever tanta merda.

      De q latrina esse filho de mutuns foi parido?

      Excluir
    6. É luta se desencadeou devido ao pecado de Abraão em tentar ajudar Deus na promessa, e assim nasceu Ismael, que seus descendentes lutam até hj com a descendência de Isaac filho da promessa. Só sei que chegará um dia que não haverá ninguém em Gaza, como está profetizado em Sofonias.

      Excluir
  2. |Essa agressora é estrangeira. Essa gringaiada adora aprontar no Brasil

    ResponderExcluir
  3. Falta de rola nessa desgraça

    ResponderExcluir
  4. Vou hackear esse filho da puta de mutuns! Todo mundo vai saber quem vc é

    ResponderExcluir
  5. SIONISMO E ANTI-SEMITISMO SÃO COISAS DIFERENTES. AOS IGNORANTES, INDICO UMA LEVE PASSADA AO DICIONÁRIO. AOS QUE TANTO DEFENDEM O ESTADO DE ISRAEL TAMBÉM DEVERIAM DEFENDER PUBLICAMENTE O ESTADO DA PALESTINA. TODA LEI SÓ É BOA QUANDO É APLICADA PARA TODOS. NINGUÉM PODE TER MAIS DIREITOS QUE OUTROS.

    ResponderExcluir
  6. A ONU é um anto de corrupção está envolvida no ataque que o Hamas fez contra Israel acabou o dinheiro para a ONU 15 países cortaram a ajuda humanitária

    ResponderExcluir
  7. Se fosse em outro País as consequências seriam outras, Uma estrangeira entra numa loja quebra vários objetos e fica por isso mesmo.
    Ainda por cima defendendo o grupo terrorista Hamas, que causaram a guerra na faixa de Gaza de forma selvagem e traiçoeira.

    ResponderExcluir
  8. Nada que uma boa surra nessa desgraçada não resolva !! FDP sai da casa ducarái pra aprontar aqui no Brasil !! Manda dar uma surra de gato morto que resolve ligeirinho...

    ResponderExcluir
  9. Tinha q sair da loja algemada... ékadaumaviu..

    ResponderExcluir
  10. Tomara que algum simpatizante do Hamas faça com o orifício bostício do Filho de Mutuns o que eles gostam de fazer com quem para eles são infiéis. Tomara que tenha um ânus bem avantajado pois o Hamas costumam introduzir o cano do
    quente do fuzil no orifício bostício.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cuidado com o que você deseja para o próximo pode vim em dobro pra você.

      Excluir