segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Homicídios aumentaram em Itajuípe e Jussari em 2019

2019 está sendo um ano muito violento em Itajuípe e Jussari devido a intensa disputa pelo controle do tráfico de drogas das facções criminosas. Oriundas de Itabuna, Raio A, DMP e Raio B dominam essas cidades e não querem perder sua renda ilícita. Em 2019, Itajuípe já registrou 13 assassinatos e em todo ano de 2018 foram 10, um aumento de 30%. 

Itajuípe têm o domínio da facção DMP e, em outra parte da cidade, o Raio A, um dos fatores para esse alto número de mortes. Já Jussari, registrou um aumento nos casos de homicídio de 75% em 2019, foram anotados 7 homicídios contra 4 em todo ano de 2018. Esse número é decorrente de tiroteios entre o Raio B que domina a cidade e o DMP e Raio A que querem tomar a localidade. Na contramão de Itajuípe e Jussari, 14 cidades reduziram os homicídios em 2019: Barro Preto se destacou com uma redução de 91% passando de 11 mortes no ano passado para 1 assassinato em 2019. 

Já Ibicaraí, reduziu em 82% os homicídios, passando de 11 mortes em 2018 para 2 em 2019. E, em Camacan, a redução foi de 60,9%, passando de 23 assassinatos no ano passado para 9 este ano. Vamos aos dados de outros municípios: Buerarema, 10 homicídios em 2018 e 6 em 2019; Coaraci 9 x 3; Itapé 3 x 0; Pau Brasil 5 x 1; Arataca 14 x 3; Almadina 3 x 4; Santa Luzia 4 x 2; Mascote 7 x 6; São José da Vitória 7 x 3; Floresta Azul 2 x 1; Itaju do Colônia 4 x 3. Já Santa Cruz da Vitória teve um pequeno aumento passando de 0 assassinatos em 2018 para 1 em 2019.

5 comentários:

  1. Em Itajuípe as mortes vão continuar acontecendo pois os Esquilates e Daniel Cinzento tão comandando as mortes na cidade, e Jussari tá de bicho com Raio B e DMP

    ResponderExcluir
  2. Isso ai ta errado verdinho, aq em Itajuipe só tem Raio A td2 diferente da outras cidades

    ResponderExcluir
  3. Pq nao falou das outras cidades tbm e seus comandos por facções?

    ResponderExcluir
  4. Vamos falar sobre o uso excessivo de força pela polícia militar em algumas dessas cidades citadas, onde a população teme tanto com a presença de bandidos como a presença de certos policiais principalmente em cidades pequenas no sul da Bahia. Temos uma lei 4.898/65, que pune o abuso de autoridade, que deveria ser aplicada rigorosamente, para casos em que durante uma abordagem rotineira os policiais: chiguam, ameaçam, batem, torturam,tiram fotos de pessoas e casas de cidadão de bem, invadem domicílios, algemam cidadão, afirmam sem provas o uso de drogas ilícitas, humilham, apontam armas sem necessidade. Não sou contra a atividade policial, mas a população principalmente das cidades pequenas fica amedrontada com tantos absurdos, e só resta nos calar, pois o medo é de uma retaliação, é como se fosse uma facção. Poucos são os que trabalham honestamente nessa profissão, respeitando as leis, as normas e técnicas, à esses meus aplausos. Mas o MP-BA , a Corregedoria da PM-BA, precisa urgente investigar a atuação da pm-ba nas cidades pequenas. A população tem medo de denunciar.

    ResponderExcluir